background image

Pagamento de abastecimentos para frotistas: Cartão de frota ou Nota a Prazo? Tem outra opção?

12/12/2021

Bárbara Argenta

porBárbara Argenta
Analista de conteúdo

Empresas que operam com frota utilizam duas práticas para pagamento dos seus abastecimentos: os já conhecidos cartões de frota ou pagamento direto aos postos - também conhecido como “nota a prazo”.
Sabendo da importância da escolha na forma do pagamento, listamos pontos relevantes a serem considerados em ambas as opções:

Utilização de cartões de frota



Uma das formas tradicionais de gestão e pagamento utilizado por empresas que possuem frota, é o cartão de abastecimento. As empresas que operam esses cartões disponibilizam uma série de benefícios para os contratantes. As principais são a entrega de um sistema para acompanhamento dos abastecimentos, além de uma ampla rede de postos.

Algumas informações referentes à sua utilização são menos divulgadas, entretanto, como as taxas que incidem sobre os postos e que diminuem a possibilidade de negociação dos preços de combustível, gerando impacto direto no custo de suas operações.

A variação pode ser de 3% a 10% no preço do combustível, a depender do faturamento do posto com o meio de pagamento. Ou seja, com a incidência das várias tarifas cobradas pelo cartão de frota, o repasse no preço para esse meio de pagamento pode gerar um acréscimo entre R$0,20 e R$0,75 no preço final. Entenda algumas dessas taxas:

MDR



O Merchant Discount Rate, conhecido como MDR, é uma taxa administrativa cobrada por transação, em percentual, para que o posto receba os pagamentos das adquirentes. O tempo médio para que o posto tenha acesso aos recebíveis após a venda é de 30 dias. Esta taxa é de aproximadamente 3,5% da transação, podendo ligeiramente variar dependendo do estado e do meio de pagamento.

Taxa de credenciamento

Para que os postos possam fazer parte da rede que atende as empresas de cartão de frota, é necessário realizar o credenciamento. A taxa de adesão é variável, de acordo com a empresa que opera o cartão, mas pode chegar a R$3.990,00.

Tarifa sobre transação



A cada transação realizada pelo posto utilizando o cartão de frota como forma de pagamento, é pago pelo varejista uma taxa. Ou seja, cada vez que o motorista da frota da empresa passa o cartão na maquininha, existe a cobrança de um valor fixo que é descontado do posto, e o valor gira em torno de R$0,90 por transação.

Tarifa sobre recebíveis



Os postos pagam ainda a taxa de transferência dos seus recebíveis. A empresa responsável pelo cartão faz a transferência do valor ao estabelecimento, mas o desconto da taxa na transação (TED/DOC) é do posto, e pode chegar a R$15,88 dependendo da empresa de cartão. Considerando que a realização dos pagamentos acontece em lotes, e não necessariamente mensalmente, toda vez que o posto receber os valores originários da transação com cartão de frota, ele irá pagar essa taxa em cima do valor.

Anuidade variável



Algumas empresas que operam os cartões de frota realizam a cobrança de uma anuidade para que o posto participe da sua rede credenciada. Além dessas taxas, existem outras tarifas que incidem sobre a utilização do cartão, como a tarifa de acionamento do help desk, tarifa de manutenção, tarifa de antecipação, que diminuem ainda mais a margem de negociação com essas empresas.


Taxa de credenciamento



Para que os postos possam fazer parte da rede que atende as empresas de cartão de frota, é necessário realizar o credenciamento. A taxa de adesão é variável, de acordo com a empresa que opera o cartão, mas pode chegar a R$3.990,00.

Tarifa sobre transação


A cada transação realizada pelo posto utilizando o cartão de frota como forma de pagamento, é pago pelo varejista uma taxa. Ou seja, cada vez que o motorista da frota da empresa passa o cartão na maquininha, existe a cobrança de um valor fixo que é descontado do posto, e o valor gira em torno de R$0,90 por transação.

Tarifa sobre recebíveis


Os postos pagam ainda a taxa de transferência dos seus recebíveis. A empresa responsável pelo cartão faz a transferência do valor ao estabelecimento, mas o desconto da taxa na transação (TED/DOC) é do posto, e pode chegar a R$15,88 dependendo da empresa de cartão. Considerando que a realização dos pagamentos acontece em lotes, e não necessariamente mensalmente, toda vez que o posto receber os valores originários da transação com cartão de frota, ele irá pagar essa taxa em cima do valor.

Anuidade variável



Algumas empresas que operam os cartões de frota realizam a cobrança de uma anuidade para que o posto participe da sua rede credenciada. Além dessas taxas, existem outras tarifas que incidem sobre a utilização do cartão, como a tarifa de acionamento do help desk, tarifa de manutenção, tarifa de antecipação, que diminuem ainda mais a margem de negociação com essas empresas.
Dessa forma, ainda que exista uma negociação intermediária entre a sua empresa e o posto de combustível por meio da companhia que opera o cartão de frota, esse potencial é reduzido pela pouca margem que sobra para o posto trabalhar.
Quando uma empresa opta por uma relação direta com os postos de combustíveis, ela abre margem para melhores negociações de preço. No momento em que o contato é feito sem intermediários, nenhuma taxa é cobrada. Aqui o grande benefício é a possibilidade de negociação, e consequente acesso a um melhor preço por litro do combustível.
Apesar disso, existe o contraponto que é a gestão desses abastecimentos. O gestor, ou responsável pela frota, faz o recolhimento e conferências dos cupons fiscais entregues por cada motorista, e posteriormente realiza a conciliação financeira. Esse processo geralmente é manual, operacional, demanda muito tempo, e é passível de um número maior de erros do que quando utilizam alguma solução de gestão.

Portanto, para empresas com operações menores, que têm gastos com abastecimento de até R$10.000 mensais, o cartão de frota pode ser a opção mais adequada, pois o impacto final no custo da operação não é expressivo e agrega recursos para a gestão. A negociação direta é também uma possibilidade, porém, mesmo com melhores preços negociados com os postos, o controle de consumo e gestão financeira ainda serão uma dor de cabeça.
O Gasola pode ser uma alternativa ideal para as empresas que têm volume maior de gastos com abastecimentos, oferecendo em sua plataforma os principais benefíciosdas duas modalidades. O sistema permite que as empresas tenham uma relação comercial direta com os postos de combustíveis, sem as taxas dos cartões de frota, e entregando toda a gestão e segurança nos abastecimentos.
Fale com nosso time e agende seu piloto gratuito por 30 dias.

Voltar